PRISÃO NA COMUNIDADE DO VIDIGAL (RJ)

Nessa quinta-feira (30), a Polícia Civil de Minas Gerais, em ação conjunta com a Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, prendeu um jovem de 22 anos, na comunidade do Vidigal, no Rio de Janeiro. Ele é suspeito de integrar uma quadrilha especializada em roubos a propriedades rurais, ocorridos na divisa entre os estados do Rio de Janeiro e de Minas Gerais.

No dia 10 de maio, outra opera√ß√£o conjunta foi deflagrada no local com o objetivo de cumprir mandados de busca e apreens√£o e de pris√£o em desfavor desse jovem, no entanto, na ocasi√£o, ele n√£o foi localizado. Os mandados s√£o oriundos de apura√ß√Ķes iniciadas h√° seis meses pela Delegacia de Al√©m Para√≠ba, que investigou crimes de tr√°fico de drogas e roubo √† m√£o armada envolvendo os integrantes da quadrilha.

De acordo com o Delegado Marcos Vignolo, entre as investiga√ß√Ķes, est√° a apura√ß√£o de um roubo ocorrido no dia 09 de maio de 2018, no munic√≠pio de Santo Antonio do Aventureiro, Minas Gerais. Tr√™s indiv√≠duos armados renderam o morador de um s√≠tio e roubaram diversos pertences da resid√™ncia dele. Os suspeitos seguiram em dire√ß√£o ao munic√≠pio de Muria√©, juntamente com a v√≠tima, em um ve√≠culo, retornando em seguida ao munic√≠pio de Al√©m Para√≠ba, onde realizaram outro roubo em um estabelecimento comercial, localizado no Bairro Santa Rita. ‚ÄúSeguindo a a√ß√£o delitiva, seguiram pela estrada municipal Jo√£o Bouhid, chegando ao posto Piscina, onde realizaram saques no cart√£o de cr√©dito da v√≠tima, que ainda se encontrava sob a guarda dos criminosos, tendo sido liberada somente no munic√≠pio de Tr√™s Rios, Rio de Janeiro, a 100 km de sua resid√™ncia‚ÄĚ, contou a autoridade policial.

Ainda conforme o Delegado, o homem foi encaminhado √† unidade prisional do Rio de Janeiro, onde se encontra √† disposi√ß√£o da Justi√ßa. As investiga√ß√Ķes continuam a fim de identificar e prender outros integrantes da quadrilha.

A a√ß√£o dessa quinta contou com a participa√ß√£o de policiais civis de Minas Gerais e do Rio de Janeiro. A opera√ß√£o foi coordenada pelos Delegados Bruno Wink e M√°rcio Rocha, da 3¬™ Delegacia Regional de Leopoldina, Delegado Hugo Malhano, Chefe do Departamento de Opera√ß√Ķes Especiais – DEOESP, e S√©rgio Sahione, Chefe da CORE Rio de Janeiro. Os trabalhos de investiga√ß√£o foram coordenados pelo Delegado Marcos Vignolo, que atua em Al√©m Para√≠ba, e pela equipe dele, sob a supervis√£o do Delegado Regional de Leopoldina, Dr Carlos Eduardo dos Santos Rodrigues.

Imagem divulgação/PCMG

Com informa√ß√Ķes da Assessoria de Comunica√ß√£o ‚Äď PCMG ‚Äď NOT√ćCIAS-4DPC